TV NEWS - FILIADA A REDE CINEC - JORNALISTA RESPONSÁVEL: CARLOS AUGUSTO PEIXOTO - MTB 0003233/ES.


A VOZ DO POVO VIRA NOTÍCIA NA TV NEWS CINEC - ASSISTA A TV NEWS - PELA TV CINEC-SP.
ENTRE EM CONTATO CONOSCO NO E-MAIL tvnewscinec@gmail.com

sábado, 9 de maio de 2015

CLASSE DO TEATRO CAPIXABA DETÉM MONOPÓLIO DAS ARTES CÊNICAS DO ESTADO CAPIXABA?
CIRCENSES NÃO APROVAM SER REPRESENTADOS PELO TEATRO E QUEREM UMA CÂMERA SEPARADA.
As lamentações e discordâncias dos Circenses Capixaba, são diversificadas, diante de um dilema antigo sobre a situação do Circo no Espírito Santo, que, passa por diversos dessabores e sofridão financeira, por não ter ainda tido as condições de formar uma câmara junto ao Conselho de Estado da Cultura do Espírito Santo.
Entrevistamos o Diretor do Departamento de Circo do Sated-ES, Magico Mandrakion e, ele afirma estar indignado com a atual situação entendida como uma forma parecida discriminatória ao circense.
"Sempre o Teatro ocupa as cadeiras das artes cênicas no Conselho de Estado, eles nunca permitem que o circo seja também favorecido para ter condições de discutir nossas políticas culturais junto a Secult-ES"
Mandrakion, que, é artista desde muito jovem, se sente completamente ofendido por saber que Artistas de Teatro é quem vai decidir todo destino político cultural da categoria.
"Eles são apenas Atores, não são e nem conhecem as técnicas de circo para falar por nos e, querem tomar nosso lugar e se manifestar em nossa defesa sem nosso consentimento, como se fossem circenses. Nenhum dos nossos Artistas concordam com esta representação e queremos que seja criado urgente uma cadeira voltada só para os circenses capixaba junto ao Conselho de Cultura"
CIRCO FEZ E FAZ ESCOLA PRA TODA ARTE
Pra o leitor ver como anda a muito tempo este disparate no circo, onde, o controle das artes cênicas capixaba, vem a muito tempo sendo ocupado, como ato de posse monopolizada de artistas do teatro.
Logo o Circo, que, tem uma tradição milenar, que, agrega diversas categorias profissionais e que é considerado o Pai e Mãe das artes; pois, teve sua origem por volta de mais de 4000 anos A/C e, que, abrigou diversos segmentos artísticos, que, hoje tem sua atuação livre destacada, tal como: o teatro, dança etc.
Logo o Circo, que, em frente a muitas dificuldades, acabou, com muita luta, ocupando uma posição de respeito e, vindo a fazer parte da Cultura Popular, por seguir uma linha de tradição familiar. Circo este, que, fora reconhecido como Matrimonio Cultural da Humanidade, que, colabora com diversas segmentos artísticos pela sua arte e que mesmo com tantos sofrimentos por falta de recursos do Estado, ainda sobrevive das pelejas dos circenses que não deixam esta arte morrer.
CIRCO É A MÃE QUE NUNCA DESAMPARA SEUS FILHOS
A classe circense nunca foi contra o teatro e sempre se mostrou bastante parceira e solidária as causas, mais, esta invasão de cadeiras das políticas públicas, vem incomodando os integrantes do circo. Se espera que através da entrada de um processo pedindo separação das câmeras junto a Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa do Espírito Santo este assunto se resolva.
AUDIÊNCIA MARCADA COM CIRCENSES
Ja foi protocolado um pedido e se espera que a Presidência da Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa do Espírito Santo, se manifeste favorável. Esta marcado uma audiência com representantes do Circo e circenses, para o dia 28 de Maio, as 14 horas, na dita casa de leis, para se estudar esta possibilidade pelos Parlamentares.
CIRCO EXIGE RESPEITO
Que os Artistas do Teatro fiquem no seu lugar de merecida defesa, mais, que o Circo seja representado também, por uma câmera específica condicente por pessoas que sejam circenses de raiz e, nunca por atores que mau conhecem o sofrimento e brigas de causas da categoria.
MURMÚRIOS
Precisamos que a Secult-ES, no uso da Democracia, dos direitos humanos e do livre arbítrio que conferidos pela Constituição Federal, nos de causa justa e apele para esta normalidade junto ao CEC, para fins de merecida e justa justiça A FAVOR DOS CIRCENSES CAPIXABA.
Matéria: Carlos Augusto Peixoto, Jornalista, Estudante de Direito, Circense de Raiz e Membro do Colegiado Setorial de Circo junto ao Minc-DF.